Assinatura RSS

My reason for reason

Publicado em

My reason for reason

Bem, nem preciso dizer o quanto estou feliz ao lado desse homem maravilhoso aí. Que do nada, me achou numa rede social, me passou o telefone, para nos reencontrarmos, pois estudavamos juntos ha dez anos atras.
E num belissimo dia, a noite eu ligo pra ele e o chamo pra ir num barzinho. Foi super legal, conversamos, e relembramos mil coisas!
Até sairmos novamente no dia seguinte, e toda essa felicidade começar.
Amor, obrigada por entrar na minha vida inesperadamente, na hora que eu mais precisava. Te amo infinitamente e incondicionalmente neguinho!

Anúncios
Publicado em

Um belo dia duas amigas decidem sair pra fofocar, conversar e trocar as confidencias. E eis que essa amiga, leva uma outra amiga para sair também. As três, conversando numa mesa de bar, começam a contar os casos e causos da vida. Numa dessas conversas, Lais conta do ultimo cara que tinha ficado. Um cara bonito, interessante, maduro e com as mesmas frustrações na vida. E contou também que ele de repente desapareceu, depois de uma noite maravilhosa, com direito a jantar mexicano, e muito papo cabeça.
Papo vai, papo vem, Carol relembra de um antigo amor, um cara que mexeu muito com ela, e que ela já perdera contato. E pede para Suellen, sua amiga, para usar o celular e mandar uma mensagem para ele, pois ela não queria que ele tivesse o numero dela (Carol).

E eis que o acaso faz com que Suellen não tenha créditos no celular, e Lais oferece seu telefone, já que ela não conhecia o cara mesmo.
Carol aceitou, e ao falar o numero para encaminhar a mensagem, comentou “Só não vale ter o mesmo numero na agenda HEIN!”. BINGO, Lais e Carol falavam do mesmo cara, o mesmo que simplesmente sumiu da vida da Lais, e que deicxou Carol apaixonada e desiludida meses antes.

Concluiram que ele realmente não valia NADA. Mas ele trouxe uma coisa muito boa e valiosa para as duas: UMA AMIZADE, verdadeira e sincera.
HOje, Carol e Lais lembram com um sorriso maroto que se não fosse essa incrível coincidencia, elas jamais teriam se encontrado =)

Real life!

Publicado em

Real life!

Achei demais. e é bem por aí mesmo.

* Faz de conta *

Publicado em

Faz de conta que do teu desamor eu fiz esplendor.
Faz de conta que meu pranto sufocado é um acalanto
Faz de conta que eu te perdoei e me convenci de que nunca te amei.
Faz de conta que sobrevivi porque sou forte, e não porque te perdi.
Apesar de você, meus dentes trincaram, meus lábios molharam.
Me abraçaram, sabia?

Você pensava que eu não resistiria.
Faz de conta que eu não morreria
Faz de conta que você intolerável, não esturpou meu lado amável.
Faz de conta que estou por aí, e errante, não estou agonizante.
Faz de conta que fui eu que fracassei, pelo tanto que te dei.
Faz de conta que tendo vivido amor e morte, estou aqui por um mero acaso da sorte.

Faz de conta que a tua maldade não é realidade, e que todo meu riso é de felicidade.
Faz de conta que a nossa carência era pura demência, e não, você sabe, era a nossa essência.
Se meu choro está preso, meu sexo ileso, faz de conta que você é apenas indefeso.
Faz de conta que comemoro a liberdade da nossa prisão, e que não gemo calada, o pires na mão.

Faz de conta que você foi meu único grito, e que esse meu riso não tem nada de aflito.
Apesar de você, essa sensibilidade tão radioativa, faz de conta que amada, não está massacrada.
Faz de conta que você não foi meu fim, e que para sempre, não me desavim.
Não sei onde errei, só sei que estou viva,  pagando, sangrando, pelo que não pequei.
Se hoje sou marginal de qualquer emoção, esse triste palhaço, disfarce da frágil menina de aço.

Faz de conta que nossa falência não era demência, não era carência, era só impotência.
Hoje não sei se tenho saudades, e até me pergunto se não foi utopia a nossa louca felicidade.

Hoje sou uma fresta. Ninguém mais me molesta. Você foi a minha última festa.

 

STavares

A primeira bossa.

Publicado em

Ela tinha dezenove anos. Ele, completara vinte e um no dia anterior.

Quando seus olhares se cruzaram, foi como uma chama comecando a arder de paixao. Todos os gestos, olhares, palavras os levaram a crer que aquele momento se estenderia por anos.

E entao, depois de uma semana, os labios quentes e umidos dela sentiram a respiracao forte dele ao sussurrar “Tchau. Logo nos veremos”.

Meses se passaram ate que ela conseguisse um novo contato. Um momento de loucura e paixao a fez correr atras e conseguir uma resposta, um ola.

E eis que, quatro meses depois, seus olhares se cruzaram novamente. E debaixo de um toldo de um predio da avenida mais famosa da capital Sao Paulo, seus labios ardentes de paixao e desejo se encontraram. Foi talvez o beijo mais esperado de suas vidas.

Novamente o destino e o acaso fizeram com que eles se separassem por outros meses. Ate ela decidir que sua vida nao seria feliz sem aquele beijo, sem aquele amor.

Enfim eles se encontram para consumar o ato tao desejado, aguardado. Suas vidas se entrelacaram e um amor imensuravel nasceu. Quando eles decidem que longe um do outro nao poderiam mais ficar, a razao de inumeros acontecimentos e desventuras acabara de nascer. E eles nem imaginavam isso.

passaram por inumeras situacoes, problemas e dificuldades, sempre seguindo um ao lado do outro, com amor e cumplicidade. Mas essa sincronicidade teve fim para ele ao saber que mais uma vida estava por vir. Algo inesperado, nao planejado que dividiu o amor e a cumplicidade deles, e deu total sentido a vida dela.

Dali em diante, todo amor e carinho escorreram junto as lagrimas dela. tempos passaram, e o fruto desse amor veio ao mundo, trazendo a certeza que ela precisava. A certeza de recomecar a vida, reconstruir tudo.

E assim, todo o amor foi empilhado em cartas guardadas na segunda gaveta da comoda, e queimado junto as juras e declaracoes apaixonadas.

Como uma Fenix ela ressurgiu das cinzas, para se reerguer e retomar as redeas de sua vida.

Assim ela seguiu e ainda segue, sem olhar para tras. Pois o que passou nao volta mais.

ST